Sabia que o excesso de peso reduz a fertilidade?

É do conhecimento geral que a elevada acumulação de gordura no organismo, tem efeitos nefastos para a saúde. No entanto, o que grande parte não sabe é que além de contribuir para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2, o excesso de peso tem grandes implicações no sistema reprodutor, afetando a fertilidade feminina e masculina.
Estudos realizados indicam que cerca de 15 a 20% dos casais em idade reprodutiva sofrem de infertilidade em Portugal. Por outro lado, metade dos homens e mulheres acima dos 20 anos têm excesso de peso e mais de 20% são obesos.
Com a acumulação excessiva de gordura no corpo, dá-se um aumento do tecido adiposo, que é responsável pela reserva de estrogénios, as hormonas que controlam a ovulação.
Com este aumento de tecido, verifica-se então um desequilíbrio de estrogénios, que afeta diretamente a fertilidade, ao impedir a ovulação da mulher. Além deste cenário, algumas disfunções menstruais têm, também, origem no excesso de peso.
Esta problemática agrava-se quando falamos de interrupções involuntárias da gravidez. Estudos indicam que há uma maior tendência para abortos espontâneos quando a grávida tem excesso de peso ou é obesa. No caso dos homens, os quilos a mais trazem uma dificuldade acrescida na altura de conceber, uma vez que o número de espermatozóides diminui consideravelmente.
Tendo em conta estes fatores, se realmente sonha com uma gravidez saudável, a primeira grande mudança que deve fazer é alterar a sua alimentação e perder os quilinhos a mais. Iniciar uma alimentação saudável com a ajuda de um médico será a chave para o sucesso de um emagrecimento rápido, com resultados a longo prazo. Contudo, reforça- se que não é aconselhável iniciar uma dieta sem o acompanhamento de profissionais médicos, pois estes poderão orientá-la e ajudá-la tendo em conta o seu perfil e necessidades.
Segundo o Estudo Prokal, um tratamento médico baseado numa dieta proteinada, o método PronoKal (www.pronokal.com) permite perder 14 quilos em dois meses, face aos 5 quilos alcançados com a dieta hipocalórica, caracterizada por reduzir tanto a ingestão de gorduras e açúcares como de proteínas. Além de ser mais eficaz por conservar a massa muscular, a perda de peso é feita através da gordura acumulada.
Nesta dieta 92% do peso perdido é proveniente do excesso de gordura do organismo, sendo que os resultados obtidos são notórios num curto espaço de tempo, comparativamente a outras dietas. Isto significa que o sonho de ser mãe não precisa de ser permanentemente adiado.
Este tratamento tem como principal objetivo a reeducação alimentar do paciente, facilitando a manutenção do peso saudável a longo prazo, o que é essencial não só para uma gravidez saudável, mas também para enfrentar os desafios da maternidade.
Não deixe que o excesso de peso o atinja a si e muito menos ao seu sonho de ser mãe. Mude de estilo de vida agora!
Mara Marques

Licenciada em Medicina

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *