SER – Os Pilares de Desenvolvimento das Empresas

Sobreiro Duarte

Ao nível histórico do desenvolvimento organizacional e, se recuarmos a meados do século passado, falava‑se em mão‑de‑obra, mão‑de‑obra essa indiferenciada, onde o aspeto relevante é a realização de esforço físico. Com o passar do tempo, surge a sociedade da informação que se irá transformar em conhecimento pelo reforço da importância da “cabeça‑de‑obra” que faz com que o conhecimento passe a sabedoria.

“Hoje, as empresas têm necessidade de cabeças‑de‑obra, pessoas que pensem e transformem a sabedoria em experiências e em resultados.”

É esta a visão do CEO do Grupo SD, Dr. Sobreiro Duarte que veio trazer ao público presente no auditório da ETEO as estratégias de desenvolvimento das organizações para obtenção dos melhores resultados. Assim, devemos começar por perceber onde estamos, qual o nosso estado atual e, depois partir para a definição dos nossos objetivos, ou seja, o nosso estado desejado. A partir daqui, vamos delinear a nossa estratégia e tática para alcançar os resultados definidos. Mas estas devem surgir apenas quando os objetivos estão claros e em função destes, porque o que é sucesso numa organização pode fracassar noutra. E é neste contexto que surge o SER, que começa pela Semente, e como tal “se eu quero colher a melhor fruta, tenho que escolher a melhor árvore, a melhor semente. Essa melhor árvore tem de ser alinhada em função do terreno que eu tenho, porque aquela árvore em determinados terrenos cresce e dá fruto, noutros não dá. Por isso, aqui é vital o processo de atrair para as organizações.” Ainda, no “S”, é possível falar em Segurança, estabilidade do colaborador na organização, a qual permite melhorar a produtividade pela confiança criada pela organização.

Quando se fala no “E”, fala‑se em Ecologia e Economia. Ecologia, no sentido de existir um “alinhamento entre os objetivos pessoais e os objetivos empresariais” e economia por forma a “tornar os nossos dias mais eficientes”.

O SER, enquanto pilar para o desenvolvimento das empresas, engloba, ainda o “R” de Relação e Resultados. Relação, porque os colaborados representam a imagem da empresa e porque a forma como se comunica faz toda a diferença no sucesso da organização e Resultados porque são o trabalho diário e é para eles que a organização vive.

Mas o “SER”, segundo o responsável do Grupo SD, só faz sentido se a “fórmula do sucesso” for aplicada. E esta fórmula é “SD2”, ou seja, “façam coisas simples, diariamente e de uma forma disciplinada”.

Sobreiro Duarte

CEO do Grupo SD
Licenciado em Gestão de Recursos Humanos
Coach
Master Practitioner PNL

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *